O comportamento de fusão e de cristalização de matérias primas sintéticas ou naturais, juntamente com uma grande variedade de aditivos, pode ser analisado por Calorimentria Exploratória Diferencial (DSC). Para materiais selantes, a temperatura de transição vítrea é analisada na faixa de baixa temperatura, uma vez que ela possui flexibilidade à frio.

A composição do material pode ser quantificada por Análise Termogravimétrica (TGA). O acoplamento de uma termo-micro-balança a um espectrômetro de infravermelho (FT-IR) ou a um Espectrômetro de Massas (QMS) permite a análise dos gases desprendidos da amostra, assim podendo-se fazer a identificação do adesivo ou do sistema selante.

Cada vez mais o LFA (Laser/Light Flash Analysis) vem sendo utilizado na determinação da difusividade térmica e condutividade em finas camadas de adesivos, sendo um método muito rápido e sem contacto. Com a Análise Termomecânica (TMA) ou com a Análise Dinâmico-Mecânica (DMA) pode-se verificar o vínculo sob condições relevantes na prática (em função da força, da deformação e da frequência).

Tanto as características térmicas como a cura-UV de adesivos 1K ou 2K podem ser caracterizadas com confiabilidade por DSC e por Análise Dielétrica (DEA). A análise cinética dos dados de medição permite a determinação da energia de ativação da reação de cura. Além disso, as simulações computadorizadas podem ajudar a criar o modelo adequado de reação para a otimização das condições de seu processo e também determinar o grau de cura ideal.