Óxido de Lantânio — Análise de Gases Desprendidos (STA-FT-IR)

Óxido de Lantânio (La2O3), é de grande interesse como material catalisador, mas é também utilizado em aplicações tais como na produção de vidros óticos de alta qualidade e na produção de metal lantânio. Óxido de Lantânio é higroscópico, por conseguinte, pode absorver água do ambiente.

No caso aqui apresentado, 643,4 mg de La2O3, contaminado com algumas impurezas de carbonato, foi pesado em um bequer de vidro (volume: 3,5 ml) e aquecido a 1120°C, a 50 K/min em atmosfera de nitrogênio. Cadinhos grandes são ideais para a medição de amostras que tenham baixa concentração de contaminantes ou que não sejam muito homogêneas.

A curva de TGA revela várias etapas. Há algumas menores sobrepostas na faixa de temperatura de até 400°C, seguidas por dois passos bem separados a 510°C e 705°C (ambos os valores de temperatura correspondem a picos de DTG). A perda de massa total equivale a 0,43%. Avaliação experimental dos espectros de FT-IR identifica água e dióxido de carbono como os principais gases liberados.

O gráfico mostra que a desidratação ocorre principalmente na primeira parte da medição, antes de 400°C; a formação de dióxido de carbono está diretamente relacionada com as duas etapas de decomposição que ocorrem entre 400°C e 800°C.

Com a ajuda desta informação, a perda total de água pode ser especificada como 0,22% (ou 1,41 mg) e a quantidade de CO2liberada é de 0,21%. (medição com PERSEUS® STA 449 F1/F3)

PERSEUS® STA 449 F1/F3 - A Revolução no Acoplamento STA-FT-IR

O PERSEUS® STA 449 F1/F3 é uma aliança sem precedentes entre dois instrumentos bem-sucedidos: o STA 449 F1/F3 Jupiter® da NETZSCH e espectrômetro FT-IR da Bruker Optics. Seu design é sem precedentes e constitui uma referência para os sistemas do estado-da-arte de acoplamento.